Por que um miniwedding? [por Lara Medeiros]

Falar de miniwedding se tornou comum, mas há aquelas noivinhas que sempre que pensam em casamento, imaginam o seu nesse estilo. Esse é exatamente o caso da Lara. Sua vontade sempre foi de fazer algo mais í­ntimo e que tivesse a cara deles. E é ela quem vem nos falar um pouco mais sobre o assunto na Coluna do Blog, Um Novo Olhar, dessa semana.

Os noivos, Lara e Thiago.

 

“Muita gente pensa num mini casamento como forma de economia. Sem dúvidas, fazendo algo menor a possibilidade de economia aumenta, mas, é preciso muita pesquisa. Isso porque alguns profissionais como os da área de fotografia e filmagem, não baseiam seus valores na quantidade de convidados e sim na diária que ele normalmente cobra para aquele tipo de evento.
Dá pra economizar na comida, já que o número ideal de convidados para um mini casamento é de 50 pessoas, nas bebidas, doces, bem casados e bolo. O item decoração pode sair tão caro quanto a decoração de um grande casamento, tudo vai depender do local, das flores escolhidas e do gosto da noiva também. Algumas noivas gostam de glamour e vão preferir flores finas e uma grande decoração. Outras, mais simples, querem algo mais clean e não se importam de usar as flores da estação.
Realizar a cerimonia e a recepção no mesmo local contribui para a economia, você pode chamar um padre, pastor ou até mesmo pedir que alguém da famí­lia diga algumas palavras abençoando o casal. Capelas também são uma ótima opção para casamentos com poucos convidados, mas, que não abrem mão do momento emocionante que é a entrada na igreja (vamos combinar que mesmo os menos religiosos acham esse momento lindo).
Outra coisa legal nos mini casamentos é a possibilidade de estar perto de todos os convidados e aproveitar o carinho deles nos vários momentos da comemoração. Fazer você mesma os convites, lembranças e alungs itens de decoração, contribui bastante na economia.
Quanto aos convidados, outro item que deixa as noivas de cabelo em pé, no mini casamento você não precisa chamar ninguém por educação ou pra fazer o social. Nesse tipo de recepção os convidados serão os familiares, amigos muito próximos e pessoas que participam da vida do casal. Aliás, adorei a frase da Fernanda Floret, do blog Vestida de Noiva, numa resposta a uma noiva sobre obrigação de convidar: Casamento não é lugar de fazer polí­tica, convidar por educação, ou por interesse, ou por favor… ” leia no http://vestidadenoiva.com/obrigacao-convidar .
E tem também outra coisa. Lembranças, bem casados, chuva de papel, trompete, são detalhes que deixam um casamento mais bonito, mas, nenhum dos itens que te apresentam são obrigatórios num casamento. Existe uma indústria de casamentos e existe ainda o marketing que busca criar necessidades para que todas as noivas do planeta comecem a utilizar determinados itens e estes passem a ser quase obrigatórios numa comemoração como esta. A ordem é seguir seu coração e deixar seu casamento, mini ou grande, a sua cara”.

Lara Medeiros.

Você gostou? Quer dar sua opinião sobre algum tema que envolve casamentos e relacionamento? Envia seu texto, foto e/ou ví­deo para casamento2ponto0@gmail.com. Será um prazer publicar a sua participação.

More about

Comments

  1. Responder

    Parabéns para a Lara e o Thiago. =]

  2. Responder

    Lara!
    Quando falamos de pessoas ruins, é fácil enumerar defeitos.
    Quando falamos de pessoas normais, alguns elogios são proferidos de forma mecânica, tal qual fazemos no dia a dia, a título de formalismo e delicadeza.
    O problema maior é quando temos que falar algo de fenômenos sobrenaturais que é onde você se encaixa. Sinceramente, o muito que escrever, falar, com adjetivos mirabolantes, com pirotecnia nas palavras, ainda será pouco para você.
    Pois bem, levei pouco mais de 30 anos para encontrar mais uma amizade verdadeira. São poucos no meu rol.
    Mini ou Maxi casamento (festa) é o que menos importa. Casamento real é o dia a dia, acordar e ver a paixão da sua vida descabelado (a), com bafo e tudo mais, e ainda dizer, eu te amo. É dividir contas e problemas, é superar obstáculos jun tos, é ter harmonia e cumplicidade. Hoje, infelizmente, a sociedade só importa com a festa, e se o casamento fracassar, que se dane. É lamentável.
    Gaste pocuo na festa para gastar o máximo no seu dia a dia.
    Bjim.
    Alessandro

  3. Responder

    É isso que eu quero… um miniwedding! Mas confesso que mesmo depois de ler a matéria sobre os convidados, ainda não consigo fazer os cortes! isso é muito complicado meeeesmo!!!

    e agora?!?! rsrsrsrs

  4. Responder

    Parabéns Lara!

    Gostei principalmente da parte que você relata que o casamento deve ficar a cara dos noivos e não ter obrigação de ter que fazer tudo que existe em outros casamentos.
    Os convidados devem mesmos serem os que acompanham o dia-dia do casal, aqueles que costumam a visitar a casa de vocês.
    Um abraço para você e Thiago.
    De Glaylson Barbosa por G&G NOIVAS!

  5. Responder

    Linda Lara – Primeiro quero elogiar a foto do casal. Segundo, você foi muito habilidosa na abordagem feita no texto. Sem afetação, você discorre sobre a festa íntima com a maestria de um escritor consagrado. Parabéns.
    Acho que um casal que se ama verdadeiramente, e não tem uma dimensão política na sociedade, pode dispensar o protocolo do casamento tradicional para a dedicação e admiração mútua.
    Parabéns ao Thiago por conviver com sua generosidade e sabedoria.
    Ricardo

  6. Responder

    Obrigada, gente!
    Fico feliz de terem gostado do texto.
    Agradeço de coração o espaço cedido pelo Casamento2ponto0 .

    Bjosss

  7. Responder

    É isso aí. Não importa o tamanho do casamento e sim a felicidade que ele trará. Amei o texto.

Leave a Reply

Deixe uma resposta